Curso de Introdução à Filosofia com Crianças na Reitoria (3ª edição)

Inline image
 

Inscrições – cultura@reit.up.pt

Este Curso de Introdução à Filosofia com Crianças tem por base o projecto FILÓSOFOS A BRINCAR, implementado desde 2007 em diversas instituições de ensino e que se inspira nas propostas pedagógicas de Mathew Lipman, Oscar Brenifier, Thomas Wartenberg, Peter Worley e Tim Kenyon.

A Filosofia com Crianças, praticada de forma regular e continuada melhora as competências verbais e argumentativas das crianças, ensina-as a ouvir com atenção os seus amigos, a explicar com cuidado e clareza as suas ideias, a aceitar críticas e a saber criticar com respeito as ideias dos outros.
No final deste Curso os participantes deverão conhecer os princípios basilares da disciplina de Filosofia com Crianças (teoria), assim como ser capazes de dar os primeiros passos na preparação e desenvolvimento de uma sessão de diálogo filosófico com os seus alunos (prática). Para isso terão serão colocados à sua disposição exercícios jogos, histórias, desafios, dilemas e outras dinâmicas para aplicação em aula com os seus alunos.
Datas – 10, 17 e 24 de novembro (sábados)
Horário  – 10h00 às 13h00
Local – Reitoria da Universidade do Porto
Valor – 100€
Inscrições – cultura@reit.up.pt
Formador
Tomás Magalhães Carneiro
Professor de Filosofia com Crianças
Fundador do Clube Filosófico do Porto
Formador de Pensamento Crítico
Mail: clubefilosoficodoporto@gmail.com
Evento no Facebook – https://www.facebook.com/events/312465356235368/
Anúncios

Farrusco

part000001

Adaptado de um conto de Guerra Junqueiro esta é uma história de  fidelidade, amizade e perdão entre um homem e um cão que pode levar-nos a reflectir sobre a existência de sentimentos, emoções e pensamentos semelhantes entre humanos e animais. No entanto,  numa das sessões que fiz em torno desta história acabámos a pensar sobre uma frase cliché (é sempre bom levar os nossos alunos a pensar sobre essas frases feitas que são autênticos bloqueadores de pensamento) que tantas vezes ouvimos repetida e que muitas vezes aceitamos de forma acrítica:

1 – “Os animais são melhores que as pessoas.”

2 – O que significa esta frase? (compreender a ambiguidade da expressão).

3 – Concordas com esta frase?

Pergunta de continuidade:

4 – Existe bondade e maldade entre os animais?

A minha versão deste conto Aqui

O Tronco

15320202128461267272886.jpg

As crianças costumam deliciar-se com questões conceptuais que passam por simples jogos de palavras mas que escondem implicações filosóficas profundas. Esta história pode ajudar a revelar algumas delas.

A partir de uma adaptação livre de um conto de Richard Marsh criei uma suposta aventura na neve que se teria passado comigo e um tronco de uns 30 metros. O final surpreendente em que um palito faz as vezes de um tronco de árvore pode levar-nos a um típico sorites como “Quando é que um tronco deixa de ser um tronco e passa a ser um palito”, ou então a questões de identidade material como Um palito de madeira é um tronco.

A origem do meu nome (Tomás) Filocontos

15320014324211789673226.jpg

Criar uma história para o porquê de nos chamarmos como nos chamamos foi uma ideia que recebi do querido “Waiky” (irmão) , o peruano César Villegas, numa Oficina de narração oral que fiz com ele há uns tempos no Porto na livraria Salta Folhinhas.

Lançar esse desafio aos nossos alunos pode ser o começo de uma interessante discussão sobre a ligação entre quem somos e como nos chamamos.

Ex: Se tivéssemos outro nome seríamos outra pessoa?; O nosso nome influencia quem somos, etc.

A história da origem do meu nome aqui.