FERRAMENTAS PARA PENSAR E DIALOGAR: TIPOS DE PERGUNTAS

É uma ideia profundamente errada a de que numa sessão de Diálogo Filosófico se devem evitar as chamadas “perguntas fechadas” e privilegiar apenas as “perguntas abertas”. Se por um lado estas últimas podem, de facto, potencializar um pensamento mais livre e criativo por parte dos alunos, por outro lado facilmente dão azo a demasiada abstracção e confusão. Ao limitar o campo de investigação com uma “pergunta fechada” podemos conduzir o Diálogo para áreas mais claras ou, até mesmo, mais filosóficas sem que estejamos a dirigir demasiado os alunos. É importante que um professor que queira moderar um Diálogo com os seus alunos conheça bem estes vários tipos de perguntas quer para saber lidar com elas quando os seus alunos as colocam quer para as utilizar enquanto instrumentos de moderação do Diálogo. É também fundamental que o professor tenha a sensibilidade necessária para saber quando as usar ou evitar e como o fazer. Mas isso só a prática o permite. Este pequeno texto pretende ser uma pequena ajuda no sentido de o incentivar a Dialogar com os seus alunos em sala de aula.

Bons diálogos! 

Perguntas Fechadas – perguntas com uma resposta possível (sim ou não, chocolate ou baunilha). Estas perguntas poderão ajudar o professor a balizar o “campo filosófico” de uma discussão, a dirigir as ideias dos alunos para um ponto específico, para revelar as implicações de determinadas ideias, para pedir argumentos a uma posição, etc. Numa boa sessão de Diálogo Filosófico o professor deve saber quando alternar perguntas de uma resposta só (Somos Livres?) com perguntas com várias respostas possíveis (O que é a Liberdade?)

 

– Conhecimento Factual

Ex. Qual o título do livro de onde o professor tirou este texto?

A estas perguntas o professor pode responder se achar pertinente ou, e alternativa, pode convidar os alunos a pesquisar por si mesmos em casa, na biblioteca da escola, etc.

– Compreensão Textual

Ex. Qual a definição que Espinosa dá de Liberdade na “Ética”?

Estas perguntas devem ser respondidas pelos alunos em Diálogo uns com os outros e com o texto, i.e., devem procurar justificar as suas respostas com passagens do texto.

– Dilemas – Ex. O João deve roubar o medicamento para salvar o seu filho? A verdade existe?

Este tipo de perguntas pedem ao aluno que se comprometa com uma única resposta (sim ou não), ou com um rumo de acção e que apresente as suas razões.

Na moderação de um Diálogo Filosófico as perguntas Dilema podem também ser utilizadas pelo moderador num Diálogo quando queremos que os alunos saiam do conforto de uma posição relativista (“depende do ponto de vista”, “depende do contexto”) onde não arriscam um pensamento que permita ao grupo analisar o seu argumento.

Quando um aluno está indeciso na resposta que vai dar podemos convidá-lo a arriscar uma das duas possíveis respostas (sim ou não) com o intuito de investigar as suas razões. Mais à frente pode sempre voltar atrás e defender a outra hipótese, no entanto, se nunca “ousar pensar”  e expôr a sua ideia ao grupo nunca saberá se é uma boa ou má ideia.

 

Perguntas Abertas – perguntas mais gerais acerca de como as coisas são, do que podemos conhecer, do que devemos fazer ou do que é possível ser ou acontecer. Estas perguntas permitem muitas respostas possíveis e, dependendo de quando são colocadas podem ser um obstáculo ou um estímulo para a investigação filosófica.

– Hipóteses – Ex. Serias mais feliz se fosses omnisciente?

Estas perguntas ajudam os alunos pensar em cenários possíveis, em contra exemplo a determinadas posições ou nas implicações de uma posição que defendem de forma dogmática.

– Imaginação – Ex. Porque é que na história os extra-terrestres invadiram a Terra?

Para alguns alunos é muito difícil distinguir as perguntas que pedem uma especulação imaginativa (sobre um texto ou um problema) das perguntas que pedem uma investigação filosófica. No entanto o professor deve perceber que as primeiras, apesar de promoverem a imaginação e a criatividade dos alunos são como que um “beco sem saída” para o Diálogo Filosófico pois não promovem a dialéctica e a troca de argumento entre os alunos mas antes a livre especulação e o encadeamento de ideias sem uma ligação clara entre elas. Este tipo de perguntas podem ajudar os alunos a sair de um qualquer

– Reflexão

Ex. O que é ser livre? ou O Ser Humano é Livre para escolher?

Estas perguntas são as que melhor promovem o Diálogo Filosófico entre os alunos pois requerem um rigoroso exame crítico daquilo que dizemos e pensamos. São perguntas com um enorme potencial filosófico pois para lhes responder de forma rigorosa e responsável temos de ter em conta as várias posições avançadas pelos outros compreendendo os diferentes pontos de vista de cada um, clarificando argumentos, analisando e estabelecendo ligações entre conceitos, avançando hipóteses, explicações e argumentos, inferindo conclusões das razões apresentadas, levantando problemas, etc.

Aqui tem algumas perguntas para começar um Diálogo com os seus alunos.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s